Como perder o medo de dirigir com 10 dicas simples

Embora a cada ano, mais ou menos 2,1 milhões de pessoas tiram carteira de habilitação, dentre elas, porém, muitos acabam não pegando no carro, e isso devido ao medo de dirigir.

Você também passa por esse problema? Então, não se sinta sozinho, muita gente está nessa situação, por isso mesmo, resolvemos mostrar aqui como perder o medo de dirigir com 10 dicas simples. Confira!

1. Procure uma companhia

Uma dica, que costuma ajudar muito quem está começando a dirigir, é  convidar alguém de sua confiança, habilitado e que já dirija há algum tempo, para lhe fazer companhia. Acredite, isso costuma passar mais confiança afstando o medo, sem falar em truques e dicas que obterá.

2. Escolha com cautela

Então, na hora de convidar alguém, não é para convidar aquele amigo piadista e aventureiro que quanto mais trisco, parece se divertir mais. Essa hora não é para brincadeira, é para perder o medo e insegurança, portanto, requer um certo filtro nessa escolha. Evite pessoas muito críticas e impacientes, ou extremamente imprudentes, a hora é de escolher alguém que passe segurança, experiência e dicas. Obs: se não tiver alguém com essas características, vale apelar para aulas extras.

3. Garagem e estacionamento vazio

Muita gente se sente mais segura, no começo, treinando na própria garagem, estacionamento, claro, desde que o espaço permita. Treine estacionar, fazer pequenas manobras, ré, enfim, é possível ir pegando confiança aos poucos, nesses pequenos trajetos e locais mais seguros.

4. Escolha ruas tranquilas

Geralmente, as autoescolas estão localizadas em centros urbanos, com treinos em locais de trânsito intenso, o que é ótimo para a pessoa ir pegando experiência. Mas quem tem medo de dirigir, com certeza, pode ficar ainda mais assustado, até porque, o que não faltam são caminhões e ônibus, por exemplo, se divertindo em colocar o futuro motorista com medo. Por isso, uma dica é começar treinando naquelas ruas de bairro mais tranquilas.

5. Finais de semana

Outra dica é procurar treinar nos finais de semana, quando o movimento de carros cai drasticamente, sem dúvida, é uma boa oportunidade de praticar com calma, sem ninguém buzinando impaciente atrás de você.

6. Nada que possa distrair

Animais, crianças, rádio, celular, fuja disso tudo quando for treinar. Dirigir requer total atenção para o trânsito, principalmente, quando se está começando. Não deixe que nada lhe tire o foco.

7. Um passo de cada vez

Vá aos poucos. Tente começar pela garagem, depois pela sua rua, sua quadra, seu bairro, até o trabalho ou faculdade. O que importa é que vá se sentindo seguro em cada progresso feito.

8. Identifique a causa do medo

Para tudo existe um porquê, nesse sentido, procure identificar a causa de seu medo. Caso não consiga chegar a uma razão específica, talvez o melhor seja procurar uma ajuda psicológica, para poder tirar o medo e insegurança.

9. Curso de direção para habilitados

Não se sente seguro ainda, não tem ninguém próximo para lhe ajudar? Então, talvez, no seu caso, o melhor seja investir em um curso de direção para habilitados. Nesse curso, terá orientações extras e mais treinamentos coltados a quem está inseguro no volante, ou seja, projetados exclusivamente para auxiliar pessoas que querem praticar mais, ou têm medo de dirigir.

10. Pratique mais e mais

Mesmo quem não tem o medo de dirigir tão acentuado, com certeza, em algum momento, também se sentiu inseguro. Não se sinta mal por isso. Muitas vezes, o medo é só o excesso de responsabilidade, e a insegurança acaba falando mais alto. Por isso, a  dica é treinar, treinar e treinar, até que se sinta apto para assumir uma direção. Só o treinamento e a prática poderão passar mais confiança e experiência.

Jantares

Quem não gosta de um belo jantar. Essa é uma pergunta que dificilmente encontraremos respostas negativas.

Nesse site daremos diversas dicas de jantares para você leitor, com o intuito de trazer informações, mostras novas idéias, inspirações para que você possa também preparar um jantar bacana e reconfortante.

Tipos de jantar

Existem inúmeras e infinitas opções de jantar, aqui nesse post vamos trazer algumas opções. Acredito que a primeira divisão a ser feita é: Em casa ou na Rua.

Em casa

Jantar em casa é sempre a opção, obviamente, mais perto.

pão na sanduicheiraUm jantar em casa pode ser algo simples e rápido, com você abrindo a geladeira, pegando um pacote de pão de forma, colocando queijo, presunto, manteiga, uma fatia de tomate, um pouco de orégano e depois colocá-lo na sanduicheira para derreter o queijo, dar aquela crocância no pão, uma bela juntada nos ingredientes e alguns minutos depois o jantar está pronto, acompanhado de um copo de suco. Em alguns minutos você está na frente da tv assistindo sua série, acompanhando de um jantar, rápido, prático, gostoso e reconfortante.

Essa é a modalidade que se repete na maioria das casas das famílias pelo brasil.

Porém existe também aqueles que não abrem mão de um prato de comida pra comer mesmo de garfo e faca, aqueles que gostam de “salgado” na janta.

A forma geralmente mais adotada, mais barata e mais sustentável é a famosa sobra do almoço do dia, ou da semana. Veja abaixo algumas dicas de um chef famoso para reaproveitar a comida.

Muitos já vão para casa, co ma cabeça naquela sobre do almoço, daquele feijão de arroz, com o tempero secreto da mãe, daquela lasanha bolonhesa, daquele resto de bife a parmigiana.

A boca chega a salivar no caminho de casa e muitos já resolvem e matam essa vontade ainda em frente da geladeira, em pé e gelado mesmo.

É aquele jantar rápido, e que está precedido de uma certa expectativa, porque você sabe o que vai comer, sabe o que tem na geladeira, torce para que ninguém pegue ao longo do dia.

E quando você abre a geladeira e não está mais lá? Você procura em todos os potes, no freezer, no forno, em todos os lugares e nada. Alguém chegou antes de você e saciou a vontade antes. É frustante, qualquer coisa que você venha a comer depois disso não vai ter aquele mesmo prazer, porque o que seu cérebro, seu corpo queria mesmo era aquela sobra do macarrão aos quatro queijos, aquele bife acebolado, aquele feijão com arroz e farofa.